//

Adolescente é violentamente agredido por policial civil em Rurópolis; veja o vídeo

Começar

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um adolescente de 13 anos sendo agredido por um policial no município de Rurópolis, no Pará. Nas imagens é possível ver o adolescente sendo violentamente atacado pelo homem. Ele é puxado pelos braços e pela roupa e jogado junto com a bicicleta contra a viatura da polícia. O policial tenta forçar o menino a entrar no veículo policial.

A prefeitura de Rurópolis emitiu uma nota de solidariedade pelo ocorrido. Segundo a nota, o crime aconteceu na Praça do Sol e foi caracterizado como “uma abordagem truculenta de policiais feita por autoridades policiais”.

Ainda na nota, a prefeitura se solidariza à família do adolescente “diante da violência policial e violação dos direitos da criança e do adolescente”. A prefeitura esclarece que não possui guarda municipal ou vigilante nas praças públicas e que vai “exigir do governo estadual a devida apuração e responsabilização dos envolvidos nas agressões”.

A agressão

Segundo informações, a violência aconteceu na praça que fica em frente à delegacia da cidade onde a vítima estava brincando antes do ocorrido. O pai do adolescente contou ao BT que os policiais justificaram a agressão alegando que o menino estava “bagunçando na praça”. O responsável ficou assustado ao ver o estado do filho: “Quando eu vi meu filho imaginei que alguém tinha batido nele de moto ou de carro, porque ele tava de bicicleta”, revelou.

A vítima foi levada até em casa em uma viatura da Polícia Civil. O pai conta o que o filho disse ao chegar em casa: “Ele relatou pra mim ‘pai ele  me pegou lá na praça, eu não tava fazendo nada, chegou me agredindo me batendo, me jogou no chão, quebrou minha bicicleta’”. A situação revoltou o responsável: “A gente não confia mais na polícia, infelizmente”, desabafou.

O menino foi atendido pelo Conselho Tutelar da cidade. O pai disse que vai procurar os direitos e a responsabilização dos envolvidos no crime. “Meu filho está aqui todo machucado, abatido. Inclusive estou procurando psicólogo para fazer o acompanhamento dele. As humilhações que ele passou lá foi muito grande”. 

Em nota a Polícia Civil informou que “não compactua com nenhuma forma de violência” e que “o servidor foi removido de suas funções e um procedimento administrativo foi instaurado para apurar o caso”.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD