//

Alunas da Unifamaz farão manifestação contra ato de assédio de professor que disse em vídeo “quando for estuprada vai ser no seco?”

O ato de assedio causou revolta nas redes sociais e uma posição da instituição é cobrada.

Começar

As alunas do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (Unifamaz), farão hoje, 26, uma manifestação contra o professor de medicina que durante uma aula cometeu assédio contra uma aluna em sala ao questionar  se ela gostaria de usar lubrificante quando fosse estuprada ou se preferia “no seco”. 

A manifestação será feita às 12:30 em frente ao centro universitário que fica na Tv. Quintino Bocaiúva e conta com o apoio da presidente da comissão das mulheres advogadas da OAB, além de coletivos, movimentos sociais, representantes políticas e grupos de mulheres. 

Entenda o caso:

O caso que revoltou a internet na noite de ontem, 25, aconteceu durante uma aula de medicina. 

Em uma turma majoritariamente feminina, um professor estava conduzindo uma aula na qual ensinava somente mulheres a fazer um processo de intubação em paciente, usando um boneco. 

Em dado momento da aula ele questiona se a aluna já havia lubrificado o tubo para inserir no “paciente”.. Ela diz que não e então o docente diz ““Quando a senhora for estuprada vai levar KY ou vai preferir no seco mesmo?”

O professor seria docente tanto do Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (Unifamaz) quando da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O nome do professor ainda não foi divulgado.

O caso foi denunciado primeiramente no perfil do paraense @tantotupiassu e em minutos se espalhou pela internet.

O caso criminoso gerou revolta em todos que viram o vídeo e foi comentado por mulheres de política paraense

A manifestação será feita Hoje.

Em nota, a universidade declarou que já tem conhecimento do caso e que esta apurando o ocorrido.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD