/

Auxilio Brasil gera confusão em Ananindeua

A confusão começou pelo grande número de pessoas aguardando atendimento para atualização do cadastro.

Começar

Confusão na manhã de hoje, 4, em Ananindeua, na região metropolitana de Belém.

O recadastramento do Cadastro Único para Programas Sociais ou Cad Único vem sendo motivo de preocupação para todos que precisam do novo auxílio do Governo Federal, o Auxílio Brasil, que substituirá o Bolsa Família a partir deste mês de Novembro em todo o Brasil. Segundo o IBGE, hoje no país, 17,9 milhões de famílias dependem deste recurso.

Na manhã de hoje, mais de mil pessoas, segundo testemunhas, estavam concentradas na sede do CRAS na BR 316. Segundo a dona Gisele Siqueira, moradora de Ananindeua e uma das beneficiadas, a confusão começou as 7:30 da manhã quando os funcionário do local avisaram que apenas 300 senhas seriam distribuídas para atendimentos do dia. Entretanto um número muito maior aguardava no local para ser atendido. 300 senhas são distribuídas no CRAS diariamente.

Dona Gisele afirmou que saiu de casa as 4:30 da manhã para garantir o atendimento no local, e nesse horário já existiam mais de mil pessoas na fila que dormiram na frente da sede.

Ainda segundo Gisele, a maioria das pessoas aguardando, estava com medo de perder o benefício, já que a ultima atualização de cadastro foi realizada em 2019 antes da pandemia. Logo, essas pessoas tem receio de não conseguir receber o benefício por estarem com o cadastro desatualizado.

Segundo quem estava no local, mulheres com crianças e idosos aguardavam na fila que não teria atendimentos prioritários.

No vídeo, é possível ver dezenas de pessoas concentradas no local em busca de esclarecimentos.

Em nota divulgada pela Secretaria de Cidadania, Assistência Social e Trabalho – Semcat de Ananindeua, foi informado que o cadastro do auxílio Brasil será feito automaticamente para todos que estão cadastrados no Bolsa Família.

Quem precisa fazer o recadastramento?

Segundo o Ministério da Cidadania, a falta de atualização pode fazer com pessoas sejam excluídas do registro no CadÚnico depois de um período de quatro anos.

O governo federal revisa anualmente os dados e comunica as famílias com informações desatualizadas para regularizar a situação. Os dados precisam ser atualizados cada dois anos no máximo.

A atualização só pode ser feita em um CRAS ou em postos de atendimento do CadÚnico. Em caso de mudança de endereço, número de telefone, de estado civil, de renda mensal ou quando acontecem mudanças como nascimentos, adoção ou morte na família, o cadastro precisa ser atualizado.

Dona Gisele não conseguiu fazer a atualização e disse que ainda voltará na sede amanhã para tentar novamente.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD