/

Greve de ônibus: Rodoviários da Monte Cristo mantêm paralisação

As oito linhas que circulam entre Ananindeua, Belém, Entroncamento, Guamá e Sacramenta, continuam sem funcionamento.

Começar

Rodoviários de Monte Cristo mantêm a paralisação, sem previsão de retorno, depois de não chegarem a um acordo na reunião com os empresários, na tarde desta segunda-feira, 18. Os funcionários ficaram desde as 4h30 da manhã de hoje até às 14 horas, aguardando a chegada dos dirigentes da empresa e o presidente do sindicato dos rodoviários, para reivindicarem melhores condições de trabalho. 

Os rodoviários reivindicam pelo atraso do pagamento do ticket alimentação, férias vencidas. Segundo eles, alguns funcionários estão trabalhando sem carteira assinada.  Na reunião desta tarde, os representantes da empresa  propuseram, o pagamento parcelado do ticket, pagar as férias de agosto agora no mês de outubro e as de setembro em novembro. A proposta não foi aceita, segundo o vice-presidente do Sindicato dos Rodoviários de Belém, Ewerton Paixão. 

Os trabalhadores afirmam que não tem previsão de retomar os serviços. A paralisação afeta oito linhas de ônibus, sendo elas: Pedreira – Lomas A e B; CDP/Providência – Ver-o-Peso; Marex – Arsenal; Pedreira – Lomas (Seletivo); Pedreira – Nazaré; Sacramenta – Pres. Vargas; Sacramenta – São Brás; Sacramenta – Humaitá, que circulam entre Ananindeua, Belém, Entroncamento, Guamá e Sacramenta.

Segundo a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), as oito linhas que circulam pela capital atingem cerca de 29 mil passageiros. 

Em abril deste ano, os funcionários realizaram outra manifestação que durou 24 horas, os motivos eram os mesmos da atual paralisação. A maioria aceitou a proposta de quitar todos os atrasos,  feita pelos chefes da empresa. As linhas de ônibus voltaram ao funcionamento por volta das 6 horas da manhã no dia 23 (sexta-feira), de abril.    

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD