/

Justiça condena réus da boate Kiss, mas TJ concede habeas corpus

Começar

Os quatro réus processados pela tragédia na Boate Kiss, em Santa Maria (RS), que vitimou 242 pessoas e deixou mais de 600 feridos em 2013, foram condenados. Eles foram julgados no Rio Grande do Sul por 242 homicídios consumados e 632 tentativas. 

Elissandro Calegaro Spohr, de 38 anos, sócio da boate, foi condenado a 22 anos de prisão; Mauro Lodeiro Hoffmann, de 56 anos, também sócio da boate, foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão; Marcelo de Jesus dos Santos, de 41 anos, integrante da banda Gurizada Fandangueira e Luciano Augusto Bonilha Leão, produtor da banda, foram condenados a 18 anos de prisão.

O juiz determinou ainda que a pena comece a ser cumprida imediatamente, mas, os condenados conseguiram um habeas corpus preventivo, concedido pelo Tribunal de Justiça e estão em liberdade. Ainda cabe recurso da decisão, tanto do Ministério Público quanto dos das defesas, contudo, os tribunais só poderão modificar a pena ou determinar a realização de novo julgamento, sem alterar a decisão dos jurados.

Tragédia

O incêndio na boate Kiss aconteceu no dia 27 de janeiro de 2013. O fogo iniciou no palco e logo se alastrou provocando muita fumaça tóxica. Apenas uma saída da boate estava desobstruída. O acidente abalou o país pelo grande número de vítimas. Bombeiros e civis tentavam abrir passagem para as vítimas saírem do estabelecimento, quebrando os muros da casa, mas a demora no socorro foi determinante para que terminasse em tragédia.

Foto: DEIVID DUTRA

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD