/

Ladrão Debochado: consumidor diz cair em golpe e namorada é insultada por suposto golpista

Perfil segue ativo nas redes sociais e vítima busca uma solução

Começar

O Personal Trainer Marcílio Lopes, 27, viu sua compra de celular virar um pesadelo ao cair em golpe de uma loja virtual no Instagram, em uma promoção de Black Friday.

A Black Friday é uma das datas mais esperadas tanto pelos profissionais do varejo quanto por clientes que economizaram para gastar neste momento do ano. Entretanto, a data movimenta não somente a economia como também as possibilidades de cair em golpes. Segundo especialistas, as ações mais utilizadas pelos golpistas são a criação de páginas falsas, promoções fraudulentas e perfis falsos em redes sociais.

Segundo a ClearSale, empresa especializada em soluções antifraude, esse comportamento deve apresentar um aumento de 52% na Black Friday deste ano. Em números, isso significa que em 2020 foram 22.467 pedidos fraudulentos, enquanto a expectativa para 2021 gira em torno de 34.089.

Só que muito além dos números, esses dados representam pessoas que, de alguma forma, foram lesadas por práticas criminosas na internet. Uma dessas pessoas é o Personal Trainer, Marcílio Lopes.

Depois de muitas pesquisas para comprar o celular que queria, o personal optou pela loja “Apple Imports Brasil Oficial” (@apple_import_brasil19), que conta com mais de 45,6 mil seguidores no Instagram.

perfil da loja no Instagram

Após o primeiro contato, o profissional de Educação Física optou por confirmar com uma suposta cliente da loja se seria seguro realizar a compra. Questionada se o serviço era confiável, ela confirmou que sim e que tudo o que comprou foi devidamente entregue.

Conversa de Marcílio com a suposta cliente da loja

Munido dessas informações, o personal tomou uma última providência: verificar se o CNPJ da empresa constava no site da Receita Federal. Com a confirmação, Marcílio realizou a compra na última sexta-feira, 19, às 13h14.

Entretanto, segundo ele, o código de rastreio da compra nunca chegou e, desde então, Maurílio diz não obter respostas da loja, ficando com um prejuízo de três mil reais.

Para tentar solucionar o problema, o cliente entrou em contato com o PicPay, plataforma de pagamento utilizado na transação, e com o Banco Inter, credor do cartão de crédito. Depois, foi à Delegacia de Crimes Cibernéticos para registrar um boletim de ocorrência.

DEBOCHE E AMEAÇAS

A falta de respostas do perfil da loja e a falta de soluções das outras partes envolvidas fez com que a namorada de Marcílio, que não quis ser identificada, entrasse em contato com a loja a fim de conseguir algum retorno.

Pelo WhatsApp, a namorada da vítima acusou a loja de estar aplicando golpes e afirmou já ter feito a denúncia. Em resposta, ela diz ter recebido xingamentos e uma resposta debochada.

Respostas debochadas e troca de xingamentos entre a namorada de Marcílio, o cliente, e um suposto representante da loja

Em seguida, ainda em conversa pelo Whatsapp, a namorada da vítima trocou ofensas com o suposto golpista e recebeu uma ameaça em resposta.

troca de ofensas e muito deboche por parte do suposto representante da empresa

O cliente prejudicado segue buscando soluções junto às partes envolvidas no caso.

É importante frisar que um boletim de ocorrência é fundamental para realizar a contestação de crimes virtuais.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD