//

Prefeita de Marituba invade rádio comunitária para cobrar o que ela chama de “direito de resposta”

Começar

A prefeita de Marituba, Patrícia Mendes (Republicanos) protagonizou uma cena de intimidação do livre exercício da atividade jornalística, na tarde deste domingo (24), invadindo uma rádio comunitária, Umari FM, que fica em Marituba, município do Pará, para cobrar o que ela chama no vídeo de “direito de resposta”. 

Acompanhada de um homem sem camisa, Patrícia entrou com o celular na mão, expondo o radialista Jorge Paulino, acusando-o de estar sendo bem pago para “falar mal da prefeita”. O homem sem camisa dizia ao profissional da rádio com o dedo em riste “por que nem radialista tu é”. Enquanto isso, a prefeita dizia que agora falaria do trabalho feito pela prefeitura em 10 meses. 

Após todos entrarem no estúdio da rádio, a prefeita começou a falar que estava sendo atacada pelo radialista e sua família não tinha mais sossego. Mas a maior parte das pontuações que ela diz serem ataques pessoais, são pontuações sobre a gestão da prefeitura, como por exemplo a falta de iluminação pública. 

No fim do vídeo, o homem sem camisa, agora vestido, afirma que os vereadores estão na porta e vão entrar também. Mas os funcionários da rádio já tinham trancado o portão, alegando que a invasão oferecia insegurança à vida dos profissionais.

No fim do vídeo vemos uma mulher, que se apresenta como diretora da rádio, dizendo que o direito de resposta seria dado, desde que isso fosse feito oficialmente, e não com a invasão do veículo de comunicação.

O radialista, Jorge Paulino, em conversa com BT disse que teve o direito de jornalista cerceado pela prefeita e ressalta ainda que já processou, Patrícia Mendes e que terça-feira, 26, estará entrando com um processo através da assessoria jurídica da rádio e dos advogados pessoais.  

Entramos em contato com o sindicato dos jornalistas do Pará e com a prefeitura de Marituba, aguardamos retorno de ambos.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD