//

Prefeitura de Redenção faz compra de kit covid

Redenção está entre os municípios que ainda compram medicamentos sem ineficácia contra o novo coronavírus

Começar

Em junho deste ano a prefeitura de Redenção, município do estado do Pará, autenticou uma licitação que previa a compra do kit covid, cerca de 900 mil comprimidos de ivermectina, hidroxicloroquina, azitromicina e zinco, quantidade suficiente para cada morador do município receber nove comprimidos até dezembro. 

O valor investido para a proposta era de R $901 mil, que garantia compra de 500 mil comprimidos de ivermectina, 200 mil de azitromicina, 100 mil de hidroxicloroquina e outros 100 mil de zinco. Até o momento nenhum contrato foi assinado por fornecedores .

A ineficácia do kit covid foi comprovada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).  A OMS destacou que o anti-inflamatório hidroxicloroquina não deve ser usado para prevenir infecções em pessoas que não têm covid-19. Eles ainda explicam que a hidroxicloroquina não teve efeito significativo em pacientes com covid-19. 

O secretário municipal de saúde, João Lucimar Borges, informou ao portal UOL, que não se recordava bem ter realizado a licitação. Logo após isso, João Lucimar, explica que chegou a fazer a distribuição da azitromicina e  do zinco, mas já estava suspensa.

O secretário explica ainda que quando o cargo foi assumido por ele, no início deste ano, houve um pico de contaminação muito grande do vírus.  “Todo mundo estava tentando se apegar em alguma coisa, às vezes era até uma coisa psicológica para as pessoas”, explica João, justificando a distribuição do kit covid, no início do ano .

Segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em 2019 há cerca de 84 mil habitantes em Redenção. Até hoje, o número de óbitos pela covid é 244, o que faz do município o nono colocado dos que mais houve óbitos à cada 100 mil habitantes (287).  Até 27 de outubro 67,8 mil doses da vacina contra a covid-19. 51,72% da população recebeu a primeira dose e 28,29% a segunda dose ou a dose única.

Além do município de Redenção do estado do Pará, outras prefeituras de cidades como Passos Fundo do Rio Grande do Sul, Campo Maior do Piauí e Araputanga do  Mato Grosso, continuam adquirindo os  medicamentos ineficazes para contenção da pandemia do novo coronavírus.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD