REUTERS/Washington Alves
//

Suspeita de fraude em licitação da Vale beneficia grupo educacional do Rio de Janeiro e tira empresa paraense do comando

Começar

Suspeita de fraude, confusão e cadeados em portão de prédio escolar, marcam uma licitação realizada sob trâmites que estão sendo contestados judicialmente e que retira o direito de comandar escola de empresa paraense e tenta passar a vaga para um grupo nacional do Rio de Janeiro, que comanda o Colégio Primeiro Mundo, além de outros vários colégios pelo Brasil.

O Sistema de Ensino Equipe era até 2021, o grupo licitado e autorizado ao uso do prédio escolar de posse da Mineradora Vale no município de Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará. O colégio paraense esteve por seis anos a frente dos trabalhos escolares do prédio. Entretanto, a direção recebeu a informação de que teria perdido a licitação ainda no ano passado e um novo grupo educacional, a escola Primeiro Mundo, seria o vencedor licitado para assumir o comando a partir de 2022.

O grupo ganhador deveria ter sido divulgado em setembro pela mineradora, coisa que não teria acontecido. A Vale teria informado para a direção do Equipe apenas no dia 23 de dezembro, um dia antes do recesso dos servidores do colégio, que um outro colégio tomaria posse do prédio.

A coordenação do Sistema de Ensino Equipe, teria recebido um prazo de cinco dias para desocupar o prédio, o que alegou ser impraticável, pois todo o equipamento e objetos do colégio pertencem ao Equipe sendo de posse da mineradora Vale, apenas o prédio. O prazo de desocupação então foi aumentado para trinta dias, o que também estaria fora no estipulado no contrato, que garantia o prazo de três meses.

O caso está agora na justiça. Fontes anônimas apontam suspeita de irregularidade na nova licitação, sob a alegação de que um colaborador que fez parte da escolha da instituição eleita já teria integrado o grupo de funcionários do colégio Primeiro Mundo por oito anos. O colégio Equipe conseguiu uma limitar prorrogando o contrato com a mineradora até que todas as denúncias sejam apuradas.

Na última sexta-feira, 21, os servidores do colégio Primeiro Mundo foram até o prédio para iniciar a abertura das matrículas da instituição. O anuncio da abertura de matriculas já consta no site do grupo educacional.

Site da instituição anunciando o inicio das matrículas na unidade de Canaã dos Carajás

O Colégio Equipe teria então informado aos servidores do Primeiro Mundo a decisão judicial que manteria o Equipe com laços contratuais com a Mineradora Vale.

Após o aviso do Equipe, ambas as escolas ficaram trabalhando no prédio em salas diferentes, cada uma cumprindo as próprias demandas.

No ultimo sábado, 22, quando os servidores do colégio Equipe foram até a unidade para uma reunião convocada pela direção para informar como deveriam proceder, a direção encontrou o prédio trancado, e segundo informações, com seguranças particulares impedindo a entrada dos servidores.

A escola estava trancada por cadeados e correntes impedindo a entrada dos servidores do equipe. Imagem Web cidade de Canaã dos carajás

O portal Web cidade, de Canaã do Carajás esteve no local e registrou as imagens dos portões trancados e falou com diretor da unidade, Roberto Elleres.

A polícia foi chamada e os servidores tiveram acesso ao prédio no fim da tarde de sábado.

A escola conta com 72 turmas ao todo, sendo as mesmas do ensino fundamental ao convênio. Os alunos são em sua maioria filhos de servidores da mineradora Vale.

A situação entre as escolas segue em segredo de justiça e o Equipe continua com suas atividades e já iniciou o período de matrícula.

Em nota, a Vale disse que  o contrato com o Colégio Equipe foi encerrado em dezembro de 2021 e que todos os seus processos de contratação seguem rigorosos padrões de compliance e melhores práticas. Segundo a mineradora, o Centro Educacional Primeiro Mundo está contratado para gerir as operações da escola a partir de 2022.

A Vale disse ainda que ainda não recebeu nenhuma citação/intimação no processo movido pelo Colégio Equipe e que adotará as medidas legais cabíveis assim que for citada oficialmente.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.

Fechar AD