//

“Vou ter que tirar dinheiro da saúde e da educação”, diz Bolsonaro sobre a compra de absorventes

Com a repercussão do tema, pobreza menstrual, o presidente se pronunciou afirmando que terá que tirar verba da saúde e da educação caso o congresso derrube o veto.

Começar

O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo, 10, que vai cortar dinheiro das áreas da saúde e da educação se o Congresso Nacional derrubar o veto à distribuição gratuita de absorventes para mulheres.

Em conversa com populares, Bolsonaro disse que o único jeito era tirar o recurso necessário da saúde e da educação e completou dizendo que a deputada federal, Tábata Amaral, deveria fazer o custeio com a sua verba de gabinete.

A discussão, que repercutiu durante todo o fim de semana, teve mais um capítulo quando o presidente se pronunciou sobre a medida alegando mais uma vez que não existia fonte de custeio para a distribuição e que poderia ser visto como crime de responsabilidade caso sancionado. 

O presidente vetou a cláusula do PL que determinava a distribuição gratuita de absorventes  para adolescentes da rede pública de baixa renda, presidiárias, pessoas em condição de  extrema pobreza e situação de rua. 

A alegação para o veto, foi uma falta de fonte de custeio para a ação, entretanto, o PL previa sim como fonte o uso da verba destinada para o Sistema Único de Saúde (SUS), e em caso de presídios, a fonte seria o Fundo Penitenciário Nacional.

Deixe sua resposta

Your email address will not be published.